Escola da Magistratura lança projeto cultural

6 de novembro de 2018
ESMEC

ESMEC

No mês de novembro, a Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec) estará realizando uma série de eventos artísticos e culturais.

O projeto Esmec Artes 2018, que é aberto à comunidade jurídica e à população em geral, acontecerá na sede da Instituição (Rua Ramires Maranhão do Vale, nº 70, Água Fria) e constará de exposição fotográfica, palestras sobre literatura e cinema, exibição de filme, peça teatral e apresentação musical.

Veja abaixo as atrações programadas para o Esmec Artes.

PROGRAMAÇÃO

Fotografia – de 09/11 a 19/12, no pátio interno da Esmec, de 8 às 17 horas

Exposição “Na Linha de Frente” – Acervo do Museu da Fotografia de Fortaleza com registros de guerra de renomados fotojornalistas brasileiros. São fotos do front de batalha (como a Primavera Árabe, guerra civil da Líbia etc.) e cenas de vítimas de conflitos internacionais (como o drama dos refugiados).

Literatura – dia 09/11, às 14h, no auditório da Esmec

Palestra 1 – “Institución literaria y arte jurídico: la escritura de la Ley”

Com o jurista José Calvo González, professor catedrático de teoria e filosofia do direito da Universidad de Málaga.

Palestra 2 – “La palabra jurídica en exilio en la obra de Alejo Carpentier”

Com a professora Maria Pina Fersini, Doutora em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad de Málaga y la Universidad de Florencia (Italia).

Cinema – Dia 23/11, às 9h, no auditório da Esmec

Exibição do filme “O Caldeirão da Santa Cruz do Deserto”, dirigido pelo cineasta cearense Rosemberg Cariry. O longa-metragem foge da visão tradicional de um documentário, pois mistura realidade com elementos ficcionais. O filme faz um resgate da memória e história da comunidade religiosa do Caldeirão, um arraial camponês de inspiração socialista, que floresceu no município do Crato, sob a liderança do beato José Lourenço.Após a apresentação do longa, haverá um debate.

Teatro – Dia 23/11, às 15h, no auditório da Esmec

Apresentação da peça infantil “João Botão”, do grupo cearense Teatro Máquina, que completa 15 anos em 2018. “João Botão”, encenado pela primeira vez em 2010, é uma leitura dramática do romance “Jim Knopf e Lucas, o maquinista”, do alemão Michael Ende. A peça é uma fábula que, de forma lúdica, discute questões complexas como o tamanho e a importância do Estado e do poder constituído, na vida das pessoas, e também como desmontar essa estrutura.

Música – Dia 30/11, às 16h, no auditório da Esmec

Apresentação do violonista Manassés de Sousa. Instrumentista de renome internacional, o maranguapense Manassés tem 38 anos de carreira e, além de violonista, é violeiro, guitarrista, compositor, arranjador e produtor musical. No cinema, é autor de trilhas sonoras premiadas, como as dos filmes Campo Branco; Iremos à Beirute; Cerca Seca; Oropa França e Bahia; Uma Nação de Gente e Labirinto. No disco são destaques as produções “A Música Universal de Manassés”, de 2002; e “Mana Mano”, de 2015.

Fonte: Prof. Flávio José Moreira Gonçalves – Docente do Departamento de Direito Processual (Contatos: 85 3218.6188 – esmec@tjce.jus.br)